Lucas Merçon

A atitude que o Fluminense demonstrou nos primeiros meses de 2021 torna-se uma referência para a conduta da equipe que está prestes a ser comandada por Roger Machado. Mesmo em meio a altos e baixos, os jogadores conseguiram se mobilizar e tornaram a vaga na Copa Libertadores viável graças a uma arrancada redentora que torna-se referência para a temporada que começará em breve.

Com sete vitórias, três empates e uma derrota, a equipe comandada por Marcão soube não esmorecer mesmo diante da forte adversidade que teve neste início de ano: a goleada sofrida por 5 a 0 para o Corinthians. O treinador tricolor, que viu a equipe obter 72% de aproveitamento em jogos neste início de ano, contou como foi a mobilização.

– Realmente foi um resultado muito duro. Sangrou, machucou bastante. Nossa equipe vinha de uma vitória importante sobre um rival (2 a 1 sobre o Flamengo). Até poderia acontecer uma derrota, mas com a gente brigando, lutando até o fim, entregando tudo dentro de campo. Desde aquele momento, resolvemos tudo em família, colocamos tudo, os jogadores se posicionaram, nos fechamos e fizemos um Fluminense com jeito de Fluminense: forte, impositivo, brigando por todas as bolas. A parceria que os meninos tinham do lado de fora conseguiram levar para dentro de campo – garantiu.