(Foto: Lucas Merçon - FFC)

Ao encarar o Independiente Santa Fe em Armenia em vez de Bogotá, o Fluminense escapou de uma altitude de 2.650 metros e atuou a 1.480 metros acima do nível do mar. Mesmo que tivesse de atuar no local original da partida, Marcos Felipe estava preparado. Antes, os goleiros tricolores haviam treinado com bolas de vôlei para se acostumarem às variações.

Marcos Felipe comentou a prática e destacou a importância de estar sempre adaptado às dificuldades que possam pintar no caminho.

— Sim, a gente tenta se adaptar o mais rápido possível às adversidades que o local vai nos propor. E fazer esses treinamentos ajuda bastante no tempo da bola, da reação… Isso influencia bastante – disse.