(Foto: Lucas Merçon/FFC)

Durante longa entrevista ao Globoesporte.com, o presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, foi perguntado sobre incremento na folha salarial com as contratações e a demora em fazê-las. O mandatário, então, revelou que o uruguaio Abel Hernández, mesmo com uma proposta mexicana, topou fechar com o Tricolor, recebendo o mesmo que ganhava no Internacional.

– Mas por que demora? A gente precisa construir na cabeça do atleta o convencimento dele vir. Infelizmente neste momento não temos como pagar tudo aquilo que o atleta pede. O Abel, por exemplo, veio ganhando a mesma coisa que ganhava no Inter, mas outros vieram por menos. E esse ano a temporada começou uma semana depois da outra. E quando o Brasileiro acabou, a gente só foi saber se ia para a fase de grupos da Libertadores 15 dias depois, por conta da Copa do Brasil – contou Mário.

Mediante a declaração do dirigente, o NETFLU apurou com fontes ligadas ao Internacional que Abel recebia R$ 700 mil no Colorado por mês, sendo R$ 455 mil na carteira. Isso significa, portanto, que o centroavante de 30 anos, reserva imediato de Fred, possui um dos maiores salários do elenco tricolor.

Na ocasião da contratação de Abel pelo Fluminense, veículos de imprensa do Rio Grande do Sul, como a Revista Colorada, noticiaram que o uruguaio estava fora dos planos do Internacional em função de seus elevados vencimentos, mas que estaria acertando com o Fluminense para receber um salário inferior. O repórter Lucas Collar, do canal Vozes do Gigante, especialista em Inter, também publicou que o atleta ganharia cerca de R$ 330 mil no Flu e fez elogios ao centroavante.

Fred e Nenê, titulares absolutos, e Ganso, reserva desde o início de 2020, eram, até então, os jogadores com os maiores vencimentos no Fluminense, ultrapassando a casa de R$ 400 mil cada.

Mesmo suplente, Abel Hernández é o vice-artilheiro do Fluminense em 2021. Disputou 13 jogos, sendo apenas cinco como titular, e marcou seis gols. Fred está no topo da lista com 11 tentos.