(Foto: Mailson Santana - FFC)

Mário Bittencourt assumiu a presidência do Fluminense em meados de 2019, logo após a antecipação da saída do ex-mandatário Pedro Abad, que estava prevista para o fim daquele ano. De lá para cá, o Tricolor teve bons resultados, escapando do rebaixamento naquele ano e conquistando uma vaga na Libertadores em 2020, algo que não acontecia desde 2012.

Tiveram momentos para serem esquecidos também, como as eliminações vexatórias na Copa do Brasil e na Sul-Americana para Atlético-GO e Unión Calera (CHI), mas, em 2021, o Time de Guerreiros vive talvez sua melhor fase desde a era Unimed. Nas oitavas de final da Libertadores e da Copa do Brasil, o Fluminense ainda briga na parte de cima da tabela no Brasileiro.

Em entrevista ao portal GE, Mário projetou os últimos 18 meses de sua atual gestão, que vai até dezembro de 2022, e fez um apelo aos torcedores tricolores.

– Meu pedido é que continuem apoiando o clube, os jogadores, o time, os projetos da instituição, continue se associando… O que podem esperar de mim nesse ano que falta é uma dedicação maior do que já demos até agora, austeridade, estabilidade e um time competitivo – destacou o mandatário.