(Foto: Lucas Merçon - FFC)

Com os potes definidos, o Fluminense agora aguarda o dia 09 de abril para saber quem serão seus adversários na fase de grupos da Libertadores de 2021. Existem diversos cenários e combinações que podem ocorrer, mas a torcida tricolor espera por uma chave que seja mais acessível para o Time de Guerreiros avançar e quer fugir de um “grupo da morte”.

Confira os potes e qual seria o melhor ou o pior cenário para o Flu no sorteio, lembrando que times do mesmo país não podem cair no mesmo grupo, a menos que venham da Pré-Libertadores:

Pote 1
Palmeiras
Flamengo
São Paulo
Boca Juniors (ARG)
River Plate (ARG)
Cerro Porteño (PAR)
Olimpia (PAR)
Nacional (URU)

Pote 2
Atlético-MG
Internacional
Defensa y Justicia (ARG)
Racing (ARG)
Universidad Católica (CHI)
Independiente Santa Fé (COL)
LDU (EQU)
Barcelona de Guayaquil (EQU)

Pote 3
Fluminense
Argentinos Juniors (ARG)
Vélez Sarsfield (ARG)
The Strongest (BOL)
América de Cali (COL)
Sporting Cristal (PER)
Universitario (PER)
Deportivo Táchira (VEN)

Pote 4
Always Ready (BOL)
Unión La Calera (CHI)
Rentistas (URU)
Deportivo La Guaíra (VEN)
Santos x San Lorenzo (ARG)
Grêmio x Independiente del Valle (EQU)
Atlético Nacional (COL) x Libertad (PAR)
Junior Barranquilla (COL) x Bolívar (BOL)

MELHOR CENÁRIO

Boca, River, Nacional, Cerro Porteño ou Olimpia. O Fluminense já sabe que terá um desses em seu grupo, já que não pode enfrentar os brasileiros. Neste caso, fugir dos argentinos seria a melhor pedida. Dentre as outras opções, Cerro e Nacional parecem ser as menos complicadas do pote 1. Já no pote 2, Barcelona de Guayaquil e Santa Fé são os nomes menos tradicionais, ao lado do Defensa Y Justicia. Os argentinos, porém, são os atuais campeões da Sul-Americana.

No pote 4, Unión La Calera, Rentistas ou Deportivo La Guaira seriam boas opções. Always Ready, por ser de La Paz, tem altitude, enquanto os adversários que podem vir da Pré-Libertadores também são considerados mais “chatos”. Dessa forma, os melhores cenários para o Flu seriam cair em um grupo com: Cerro Porteño (PAR), Barcelona de Guayaquil (EQU) e Deportivo La Guaira (VEN), ou até mesmo: Nacional (URU), Santa Fé (COL) e Unión La Calera (CHI).

PIOR CENÁRIO

No pior cenário possível, o Tricolor pode encarar, logo na primeira fase, um multicampeão da Libertadores, altitude e outro clube brasileiro. Sim, é possível. No pote 1, o Flu pode cair na chave de Boca Juniors ou River Plate, os clubes argentinos mais tradicionais e que somam 10 conquistas (seis do Boca e quatro do River). No pote 2, a LDU, maior fantasma do Flu, também pode pintar na chave. Racing e Universidad Católica também são possíveis duros duelos.

Já no pote 4, o Tricolor tem chances de encarar Grêmio ou Santos, caso eles eliminem Independiente del Valle (EQU) e San Lorenzo (ARG), respectivamente, e avancem da Pré-Libertadores. Sendo assim, o Fluminense pode ter um grupo “da morte” com: River Plate (ARG), LDU (EQU) e Grêmio, ou até mesmo: Boca Juniors (ARG), Universidad Católica (CHI) e Santos.