Nino está no Fluminense desde 2019 (Foto: Mailson Santana - FFC)

No Fluminense desde 2019, Nino chegou a 100 jogos pelo clube na vitória de 2 a 1 sobre o Independiente Santa Fe, quarta, na Colômbia, pela Libertadores. Feliz pela marca, o zagueiro tricolor destacou a dificuldade de se chegar a um grande clube e também se manter por tanto tempo.

— Prazer e felicidade imensa de chegar a 100 jogos. Por muitas questões, dificuldade de chegar a um Fluminense, realizar esse sonho. O quanto é difícil chegar, passei dificuldades, tive a felicidade pelo clube ter realizado a compra no final de 2019. Tudo isso torna muito especial a marca de 100 jogos. Muito especial porque sabemos o quanto é difícil se manter num clube desse tamanho, atingir essa marca. Costumo falar, ouvi isso de um treinador, que o futebol é uma máquina de triturar gente. Muitas vezes nós jogadores somos tratados como coisa. Num jogo prestamos, no outro não – disse, complementando:

— Talvez isso explique a cultura de descartar e demitir treinadores muito cedo, às vezes com trabalho de um mês ou menos. Nesse ambiente triturador de gente, é uma marca importante para mim.