(Foto: Divulgação/FFC)

Nesta terça-feira, o histórico estádio de Laranjeiras, primeiro do país e berço do futebol brasileiro, completa 102 anos de idade. Desde 2004 levando o nome do ex-presidente Manoel Schwartz, o estádio foi o palco de muitas vitórias do Fluminense e da Seleção brasileira, que atuou por lá em seus primórdios. Em seu site oficial, o Fluminense recordou um pouco da história de seu estádio Centenário. Confira:

“É comemorado nesta terça-feira (11) o aniversário do histórico Estádio de Laranjeiras, o primeiro do país. Localizado na sede do Fluminense, o Berço do Futebol Brasileiro, erguido para ser palco do Campeonato Sul-Americano de Seleções, completa 102 anos. Desde 2004, leva o nome do ex-presidente Manoel Schwartz.

O clube venceu o Flamengo na disputa para receber a competição entre seleções, que é, hoje, conhecida como Copa América. Inicialmente marcado para 1918, o torneio passou para o ano seguinte em razão da gripe espanhola. Mesmo sem auxílio do Governo, o Tricolor superou os atrasos provocados pela epidemia e construiu o maior estádio da América do Sul na época, em cimento armado, com capacidade para 18 mil pessoas.

Presidente do Flu de 1916 a 1931 e de 1941 a 1943, o patrono Arnaldo Guinle liderou o processo. O renomado arquiteto e engenheiro Hippolyto Gustavo Pujol Júnior, da Escola Politécnica de São Paulo, gerenciou o projeto.

No dia 11 de maio de 1919, o local sediou pela primeira vez um jogo oficial: a goleada por 6 a 0 do Brasil sobre o Chile, com os tricolores Marcos Carneiro de Mendonça, goleiro, e Fortes, médio-esquerdo. Aos 19 minutos da estreia da Canarinho no Sul-Americano, o craque Friedenreich marcou o primeiro gol do estádio.

Uma semana depois, o Estádio de Laranjeiras recebeu o primeiro duelo entre as equipes brasileira e argentina no Brasil. Os donos da casa venceram por 3 a 1 e, mais tarde, conquistaram o campeonato.

Em 1922, ainda sob o comando de Guinle, o Fluminense, com seus próprios recursos, promoveu a ampliação de sua casa, que passou a poder abrigar 25 mil espectadores, para os Jogos Latino-Americanos, evento em celebração ao centenário da independência do país. Também em Laranjeiras, no mesmo ano, o Brasil se sagrou bicampeão do Sul-Americano de Seleções, ao derrotar o Paraguai por 3 a 0.

Entre 1914 e 1918, em 18 partidas, a Seleção nunca perdeu em Laranjeiras. Foi campeão pela última vez por lá em 1931, quando ergueu o troféu da Copa Rio Branco, depois do triunfo por 3 a 1 contra o Uruguai, com gols de Nilo, jogador com importante passagem pelo Time de Guerreiros.

Os tricolores, inclusive, jogaram no local até 2003, totalizando 842 confrontos. O espaço virou sede de treinos e entrevistas coletivas do elenco profissional, que se mudou para o CT Carlos Castilho, na Barra da Tijuca, em 2016. Hoje, é palco de partidas da base e do Futebol Feminino”.