Foto: Nelson Perez/FFC

Fluminense e Dryworld completaram no último domingo seis meses de parceria com vantagens financeiras e muitos problemas na distribuição de produtos, tanto para o clube quanto para as lojas. De acordo com o site Globoesporte.com, há possibilidade de mudança de fornecedor a partir de 2017, embora a versão oficial seja a de que existe a confiança de que a operação da empresa no Brasil vai se normalizar e o Fluminense será melhor atendido.

As categorias de base do Flu ainda usam os antigos uniformes da Adidas e o prazo para a entrega já venceu. Representantes do Tricolor foram algumas vezes à fábrica da empresa no Paraná, nada que surtisse efeito.

– Queremos para ontem. Não adianta darem mais previsão. Imaginávamos que problemas pudessem acontecer, mas não nessa escala. A distribuição é o calcanhar de Aquiles deles – disse um dirigente do clube, que não se identificou.

Informa o portal que a Dryworld  assumiu um compromisso com Fluminense, Atlético-MG e Goiás sem ter a capacidade de produção necessária para atendê-los plenamente. O grande galpão comprado no Paraná ainda não foi totalmente montado, também por causa da falta de entrada de dinheiro.