Durante sua gestão, o ex-presidente do Fluminense, Peter Siemsen, disse em várias situações que daria o nome de Celso Barros, então presidente da parceira do clube, a Unimed, ao centro de treinamentos tricolor, na Barra da Tijuca. Em seguida, mudou de ideia, salientando que iria pôr o nome em votação, para que o torcedor escolhesse. No fim, acabou ele próprio optando por batizar o espaço com o nome do homem que ajudou a custeá-lo, o vice de projetos especiais, Pedro Antônio.

Em entrevista à Rádio Mais Esportes, Celso Barros foi questionado se ficou triste por conta da mudança de postura de Peter. Negando qualquer chateação, o ex-homem forte do clube fez duras críticas para Pedro Antônio.

– Não ficou mágoa. O Peter disse que teria o meu nome e depois ele mudou. E o seu Pedro Antônio recebeu no CT. E ele foi lá na fila da eleição dizer que se não votassem no Abad ele pararia as obras do CT. Depois, o Abad não pagou e ele parou as obras. Esse é o Pedro Antônio. Ele mentiu para os eleitores lá, que estavam na fila. O Abad venceu e a obra parou. O Fluminense não tem dinheiro.