Biro-Biro foi vendido pelo Fluminense na janela do começo do ano

O futebol chinês parece ter chegado para ficar. Há algum tempo, os clubes do país asiático têm despejado rios de dinheiro no Brasil e o “ataque” tende a recomeçar. Nesta terça-feira abre a janela de transferências para a China.

Só com a contratação de jogadores, os clubes chineses investiram mais de 300 milhões de euros (quase R$ 1,5 bilhão) na janela de transferências do início de 2016. Agora, eles não podem contratar à vontade, como antes, pois cada time pode fazer apenas duas alterações na lista de inscritos para as competições.

– Janela do meio do ano é mais fraca, até por não ser a principal do Campeonato Chinês e esse ano os times fizeram um investimento muito alto e ainda aguardam pela adaptação de quem chegou. Essa janela, acredito, será bem devagar –apostou o ex-zagueiro Scheidt, que atualmente é empresário e um dos maiores responsáveis por levar jogadores do Brasil para o outro lado do mundo.

O Fluminense já perdeu Conca para a China – duas vezes – e neste ano o atacante Biro-Biro, que foi destaque na Ponte Preta em 2015, quando esteve emprestado.