Peter Siemsen deixará a presidência do Fluminense daqui a 15 dias, mas não se afastará do clube. O mandatário se colocou à disposição de Pedro Abad, se o candidato for eleito, sabedor de que ele, auditor fiscal da Receita Federal, não poderá representar o Tricolor perante o poder público.

– Minha vida vai ser de torcedor apaixonado, como sempre fui, podendo desfrutar mais da família, estar envolvido com meu escritório, que gosto muito. Mas sempre vou estar próximo do Fluminense, não vou abandonar. Se o meu candidato Pedro Abad vencer, vou estar junto. Toda essa situação que ele está vivendo, essa discussão de não poder representar o clube junto ao poder público, eu estou à disposição para representar. Não tem problema nenhum. Posso fazer esse papel para o clube. O Pedro Antonio vai estar com a gente também. O Fluminense nasce comigo e morre comigo – disse.

Na quinta-feira, o jornal O Globo já havia publicado que a solução para Abad quanto a futuras negociações com o poder público seria passar a representação para Peter e Pedro Antônio. Nenhum deles, porém, ocuparão o cargo de vice-geral.