Nenê está deixando o FLu, diz portal (Foto: Lucas Merçon - FFC)

O Fluminense anunciou na quinta-feira a permanência de Caio Paulista até o fim de 2026. Desta maneira, tem praticamente todo o time titular assegurado no mínimo até o término de 2022. A exceção é Egídio, cujo vínculo se encerra em dezembro deste ano. O portal Uol atualizou sobre as situações contratuais do elenco tricolor e sobre quem deve sair ao término da temporada.

EGÍDIO COM BOAS CHANCES DE RENOVAR

Em relação ao próprio lateral-esquerdo, a decisão deve ficar para o fim da temporada. Aos 35 anos, Egídio vai bem nos exames fisiológicos, é um dos líderes do elenco e considerado acima da média da posição no país pelo departamento de futebol. Seu estafe tem bom relacionamento com a diretoria e a tendência é uma renovação, mas o martelo não está mantido. Até lá, o clube também avalia outras opções para o setor. Danilo Barcelos, Marlon e Jefté possuem contratos até o fim de 2022.

CONTRATOS LONGOS

Além de Caio Paulista, o Tricolor renovou em 2021 com Marcos Felipe, Nino, Yago e Gabriel Teixeira, e já tinha contratos mais extensos com Luccas Claro, André, Martinelli, Luiz Henrique, Calegari, John Kennedy e Fred. Contratações para esta temporada, Samuel Xavier e Jhon Arias assinaram vínculos longos, e estarão no clube no próximo ano, bem como joias da base que costumam figurar entre os titulares. Com a espinha dorsal montada, o Flu definirá eventuais contratações a partir de 2022 dependendo de como terminará o ano. Uma possível nova classificação para a Libertadores aumenta o orçamento.

Reserva, mas com a confiança de Marcão, o volante Nonato está emprestado pelo Internacional até o fim de 2022. O Fluminense pretende efetuar sua opção de compra.

NENÊ E MURIEL PODEM SAIR

Por outro lado, Nenê, de 40 anos, perdeu espaço e tem seu contrato se encerrando ao fim de 2021. De acordo com o portal, dificilmente será renovado. No banco de reservas, o meia está insatisfeito e só uma reviravolta o mantém no clube. Quem também pode deixar o Flu é Muriel. Querido no clube e uma das lideranças no vestiário, o goleiro é visto como importante pela cúpula de futebol e comissão técnica, mas por estar na suplência de Marcos Felipe e ter o desejo de jogar não está descartada uma transferência.

HUDSON É INCÓGNITA

Hudson é mais um que tem chance de sair. Sofreu lesão grave no joelho direito, passou por cirurgia e dificilmente volta a jogar na temporada. O vínculo se encerra no fim do ano e não há uma decisão sobre possível extensão. Como André vem bem e Wellington pode ser mantido, corre o risco de ficar sem espaço.

WELLINGTON E ABEL HERNÁNDEZ COM CLÁUSULAS DE RENOVAÇÕES

Há ainda as situações de renovações a serem definidas. Abel Hernández e Wellington possuem cláusulas de prorrogações contratuais “amigáveis”. O uruguaio, porém, está em baixa. Começou bem a temporada, mas vive jejum de gols e perdeu espaço, passando a ser terceira opção de centroavante (atrás do titular Fred e o agora reserva imediato Bobadilla). Já o volante, longe de cair nas graças da torcida, tem previsto em seu contrato uma renovação automática por mais um ano (o compromisso atual se encerra em dezembro próximo) caso seja relacionado em 60% dos jogos, o que até o presente momento tem acontecido. Ao fim de 2021, as partes discutirão, mas a tendência é mesmo a manutenção do atleta.

RAÚL BOBADILLA EM ALTA

Em momento de alta, Raúl Bobadilla está emprestado pelo Guaraní (PAR) até o fim do ano com opção de compra. Tem agradado mais a Marcão que Abel Hernández pela capacidade de retenção de bola. Dos gringos, só um deverá permanecer na próxima temporada e a disputa está aberta, com leve vantagem ao argentino naturalizado paraguaio.