Fluminense está com 25 pontos no Campeonato Brasileiro (Foto: Lucas Merçon - FFC)

A vitória por 2 a 1 sobre a Chapecoense, na última terça-feira, na Arena Condá, foi o fechamento do primeiro turno do Campeonato Brasileiro para o Fluminense. O time encerrou sua participação na metade inicial da competição com 25 pontos e o sétimo lugar na tabela. O portal ge publicou um balanço da campanha tricolor até o momento. Confira!

Foco dividido
Se no ano passado o Fluminense estava 100% focado no Brasileirão, em função das eliminações precoces na Sul-Americana e na Copa do Brasil, a equipe atual dividiu as atenções com a Libertadores e a Copa do Brasil praticamente durante todo o primeiro turno. E chegou a poupar o time em três jogos, contra Bragantino, Sport e Grêmio, quando venceu só um. Após cair nas quartas de final da Libertadores para o Barcelona de Guayaquil, do Equador, no mês passado, o Tricolor ainda não perdeu na Série A e subiu de 16º para 7º lugar.

Troca de comando
Houve uma mudança de rumo no Fluminense durante o turno. Roger Machado não resistiu à eliminação na Libertadores junto com os maus resultados no Brasileirão e foi demitido antes da 17ª rodada. Marcão reassumiu a equipe e mudou o jeito do time jogar. O desempenho ainda oscila: teve boas atuações contra Atlético-MG e no jogo atrasado com o Juventude, mas venceu jogando mal diante de Bahia e Chapecoense. A invencibilidade com o técnico, porém, marca o início da reação.

Veteranos em baixa
Nenê, destaque do Fluminense no Brasileiro do ano passado, e Fred, artilheiro tricolor na Libertadores, não têm conseguido manter o ritmo na Série A atual. O centroavante de 37 anos tem só dois gols em 12 jogos, enquanto o meia, de 40 anos, marcou só um em 15 partidas e perdeu a titularidade com Marcão. A mescla da experiência dos veteranos com a juventude vem sendo a marca do clube desde 2020, mas ultimamente os jovens estão tendo que “ser mais independentes”.

Xerém neles!
Se no ano passado Calegari, Martinelli e Luiz Henrique foram as gratas surpresas do Fluminense no Brasileiro, nesse primeiro turno foi a vez de André marcar posição. O volante de apenas 20 anos ganhou a vaga de titular absoluto ainda com Roger Machado e a manteve com Marcão, vindo de grandes atuações ao lado do próprio Martinelli no meio de campo. E Caio Paulista, que não foi revelado no clube, mas fez sua formação em Xerém, foi outro a se firmar em 2021 e vinha sendo o principal jogador do time até a grave lesão na coxa direita na 13ª rodada.

Baixas médicas
Falando em lesão, não foi só Caio Paulista que desfalcou o time no Brasileiro. Além do atacante, que perdeu sete jogos ao todo entre os problemas na coxa esquerda e na direita, o Fluminense também não teve Bobadilla em sete compromissos, com uma contusão na panturrilha direita; Samuel Xavier ficou fora de quatro partidas com dores na coxa esquerda; Abel Hernández foi ausência em três duelos por conta do um problema no calcanhar direito; além de Fred, Gabriel Teixeira e Luiz Henrique, que perderam um jogo cada um do turno com lesões na coxa.

Desempenho Flu x outros times
Gols marcados: com 18 gols feitos em 19 jogos, o Fluminense tem o oitavo pior ataque do campeonato, empatado com Corinthians. Lucca é o artilheiro tricolor no Brasileiro com três gols, seguido por Fred, Bobadilla e Caio Paulista, todos com dois cada.

Gols sofridos : com 20 gols sofridos em 19 jogos, o Fluminense tem só a 10ª melhor defesa do campeonato, empatado com São Paulo, Palmeiras e Fortaleza.

👟 Finalizações: com 179 finalizações, média de 9,4 por jogo, o Fluminense é o 2º que menos finaliza no campeonato, só à frente do Atlético-GO. Entre os tricolores, Fred é quem lidera a estatística com 18 finalizações, seguido por Yago e Caio Paulista, ambos com 17.

🤝Assistências: com 13 assistências no turno, o Fluminense é só o 10º com mais assistências no campeonato. Danilo Barcelos é o maior garçom com três passes para gol, seguido por Egídio e Yago, ambos com dois.

🕐 Posse de bola: com média de 48%, o Fluminense foi o 5º time com menor posse de bola no turno, só à frente de Ceará e Sport (46%), além de Juventude (43%) e Chapecoense (42%).

🏏 Desarmes: com 443 desarmes, o Fluminense foi o 5º time que mais desarmou no turno, ficando só atrás de Palmeiras, Bragantino, Inter e Chapecoense. Yago é o líder de desarmes do time com 54, seguido por Martinelli, com 50, e Egídio, com 35.

⚠️ Faltas cometidas: com 274 faltas, o Fluminense foi o 10º time que mais cometeu faltas no campeonato. Fred é o mais faltoso do time, com 24 infrações, seguido por Samuel Xavier, com 22, e Yago, com 21.

🚷 Faltas sofridas: com 261 faltas sofridas, o Fluminense também foi o 10º time que mais sofreu faltas no turno. Yago foi o maior alvo dos adversário, com 25 infrações sofridas, seguido por Nino, com 21, e Gabriel Teixeira, com 20.

🔴 Cartões: com 34 amarelos e um vermelho, o Fluminense é o 4º time com o menor número de cartões do campeonato, só atrás de Flamengo (34) e Corinthians e América-MG (29). Nino, Yago e Abel Hernández foram os que receberam mais cartões dos árbitros, sendo quatro para cada um.

🥅 Pênaltis: com três pênaltis, o Fluminense foi o 5º time que mais cobrou penalidades no turno empatado com Corinthians, Chapecoense, Atlético-MG e América-MG, e atrás de Santos, Grêmio e Fortaleza (4) e Inter (6).