A duas semanas da estreia na Libertadores, Roger avalia as peças que tem à disposição (Foto: Lucas Merçon - FFC)

A duas semanas da estreia na Libertadores, Roger Machado tem utilizado o Campeonato Carioca para fazer experiências na equipe do Fluminense. Além da molecada, também testou jogadores experientes em funções diferentes. O portal ge fez um balanço do que o técnico fez em seu início de trabalho no Tricolor até aqui. Confira:

Quem mais se destacou?

Kayky

Das opções testadas, a joia de apenas 17 anos foi a que mais animou a torcida tricolor até aqui, principalmente, após o último jogo, quando foi titular pela primeira vez (na vaga de Lucca) e marcou também o seu primeiro gol. Em pouco tempo, o atacante já mostrou força no “mano a mano”, velocidade, boa finalização e personalidade.

Gabriel Teixeira

Além de Kayky, Biel é um dos que melhor vem aproveitando as oportunidades. Ainda sob o comando de Ailton, o meia-atacante de 20 anos ganhou uma chance como titular na estreia do Carioca no lugar de Marcos Paulo, que está acertado com o Atlético de Madrid, e furou a fila dos “concorrentes” de posição. Até aqui, foi aproveitado em todos os jogos, sendo titular em metade.

Quem está mais discreto?

André

Titular com Ailton nos dois primeiros jogos do Carioca, o volante de 19 anos foi mantido por Roger no Fla-Flu, mas substituído no intervalo. Contra o Bangu, na quarta rodada, acabou acionado apenas na reta final de partida. Desde então, não foi mais relacionado, perdendo espaço para mostrar trabalho.

Daniel Lima

Assim como André, o lateral-direito de 21 anos teve pouco tempo para mostrar serviço para Roger com o retorno dos titulares. Foi a opção de Ailton, mas, junto com a defesa em geral, não foi bem na derrota por 3 a 0 para a Portuguesa. Foi banco contra o Flamengo, mas entrou na segunda etapa, deslocando Igor Julião para o meio. Em seguida, chegou a ser relacionado contra o Bangu, mas não atuou mais.

John Kennedy

Cotado para ser uma das “novidades” de Xerém mais aproveitadas neste início de temporada, John Kennedy ainda vem oscilando. O atacante de 18 anos fez um gol contra o Boavista, com direito a passe de Kayky, e mostrou que pode ser útil ao longo das competições, mas ainda não conseguiu ser regular. A concorrência com Fred também dificulta seu maior aproveitamento.

Matheus Martins

Um dos destaques da badalada “Geração dos Sonhos” sub-17, o atacante ainda foi pouco acionado. Entrou no segundo tempo da derrota para a Portuguesa, quando a equipe ainda vinha sendo comandada por Ailton, e depois ganhou alguns minutos com Roger na vitória sobre o Bangu. Foi discreto nos poucos minutos que teve, embora seja promissor.

Samuel Granada

Aos 20 anos, o centroavante também perdeu espaço com a volta do grupo principal. Ainda com Ailton, foi titular nos dois jogos iniciais, mas não balançou as redes – inclusive, na segunda rodada, contra a Portuguesa, perdeu chance clara após boa jogada de Ganso. Chegou a ser titular com Roger, ao lado de Lucca, na vitória sobre o Boavista, mas viu a dupla John Kennedy e Kayky, que entrou no segundo tempo, dar conta do recado.

Wellington

Está longe de ser novato, mas ainda é novidade para a torcida do Fluminense. Anunciado há um mês, o volante de 30 anos tem sido constantemente acionado por Roger Machado, ficando de fora apenas de uma partida, contra o Volta Redonda, quando foi relacionado, mas não saiu do banco. Tem concorrência direta de Yago e Martinelli, que terminaram o Brasileirão em alta, mas já mostrou que deve ser um dos homens de confiança do treinador.

Outros experimentos

Não foram só os jovens e o reforço Wellington que foram “testados” até aqui. Roger Machado também tem utilizado o Campeonato Carioca para experimentar alguns veteranos em outras posições, casos de Paulo Henrique Ganso e Igor Julião.

Ganso

O camisa 10, que já chegou a atuar como um “oito” com Fernando Diniz, em 2019, foi adiantado por Roger e testado como falso 9, balançando as redes contra o Bangu. Na última terça, entrou no lugar de Nenê e também jogou mais próximo do gol, voltando a marcar, em lance oportunista após cobrança de escanteio. Com dois gols em cinco jogos, já superou os números de 2020, quando fez apenas um em 32 partidas, e mostrou que pode ser útil na nova função.

Igor Julião

Foi deslocado da lateral-direita para o meio de campo durante o Fla-Flu e, improvisado, decidiu o clássico, marcando um golaço de fora da área, o único com a camisa do Fluminense. Apesar de poucos minutos, virou uma alternativa no setor. Em sua posição de origem, tem a concorrência de Calegari, que assumiu a vaga no ano passado, e Samuel Xavier, que ainda não fez sua estreia pelo clube.