Marcos Felipe bateu recorde de jogos numa temporada (Foto: Lucas Merçon - FFC)

Com o término da temporada, o portal do jornal Lance fez uma retrospectiva do ano dos goleiros do Fluminense. Marcos Felipe foi o mais aproveitado, mas muito criticado por não pegar pênaltis. Ele entrou em campo 65 vezes (número que pula para 75 se levados em considerações os jogos da temporada de 2020 que invadiram 2021 – no ano passado, as competições foram paralisadas em virtude do surto de Covid-19).

Os demais goleiros praticamente não tiveram chances. Muriel e Pedro Rangel disputaram duas partidas do time profissional. João Lopes nem sequer foi a campo. Apenas figurou no banco em algumas partidas.

Confira a análise do veículo!



Em 2021, Marcos Felipe completou sua segunda temporada como profissional. Nesta campanha, o goleiro sofreu 65 gols no total. Em casa competição, foram 12 no Carioca, sete na Copa do Brasil, 36 no Brasileiro e 10 na Libertadores. Assim, a média é de um gol a cada jogo. Durante as disputas, o Fluminense bateu o recorde de pênaltis em XXI, com 19 infrações. Destas, Marcos defendeu apenas no estadual, contra o Boavista.

Muriel, por sua vez, teve menos chances de atuar. O goleiro, que perdeu a posição para Marcos Felipe na última temporada, entrou em campo apenas contra o Grêmio e o Sport, pela 11ª e 12ª rodadas, respectivamente. Nos 180 que esteve em campo, sofreu dois gols, um em cada jogo. O gol contra o pernambucano não custou pontos ao time, que virou o placar e venceu por 2 a 1, na Ilha do Retiro. Contra os gaúchos, o Tricolor amargou a primeira das duas derrotas no Brasileiro.

Pedro Rangel, do sub-20, participou das duas primeiras rodadas do Carioca e sofreu cinco gols, nas derrotas para o Resende e Portuguesa. João Lopes, terceiro goleiro do Fluminense, apenas foi relacionado durante a temporada. O goleiro está desde 2020 no clube e participou de 13 jogos pelo sub-23 até agora, mas tem passagens pelo Flamengo e Santa Clara, de Portugal.