(Foto: Ursula Nery - Ferj)

Por conta da proibição da realização de jogos na cidade do Rio de Janeiro em função da pandemia, a Ferj resolveu mudar os locais das partidas da sexta rodada do Campeonato Carioca. Em entrevista à Rádio Tupi, Rubens Lopes, presidente da federação carioca comentou essa decisão e explicou os motivos pelo qual não optou em paralisar o torneio.

– Desde do início de março do ano passado, quando houve a paralisação do futebol do Rio de Janeiro e depois quando nós começamos os movimentos de retorno do nosso campeonato, nós deixamos bem claro que um dos pilares em que nós nos apoiamos, para exercer essas atividades, foi a saúde pública. A verdade é o cuidado que há de se ter de maneira que não se propague e que o futebol não seja um veículo de propagação da virose. Muito pelo contrário, que o futebol seja uma ferramenta demonstrativa da possibilidade do exercício de uma atividade elaborativa com responsabilidade e biossegurança. Por isso, nós fizemos o tão falado ‘Protocolo Jogo Seguro’, que não só pelo ano passado mas que como também nesse momento de início de Campeonato Estadual de 2021, nós temos demonstrado que essa rigidez no cumprimento das normas sanitárias permitem uma atividade sem risco, ou, pelo menos, uma probabilidade muito menor de risco, seja de contaminação, seja de disseminação da patologia – disse ele, complementando em seguida:

– Nós respeitamos o segundo grande pilar que é o respeito as decisões das autoridades. Quem discute, implementa e decide sobre as ações epidemiológicas e de saúde é o poder público. E nós somos obrigados a cumprir. Se no Rio de Janeiro, ou em outros estados, houve uma restrição às competições e partidas de futebol por determinação das autoridades municipais, existem outros que não estão em lockdown e que estão em condições de permitir algumas atividades, dentre as quais, o futebol, e é para lá que nós certamente devemos caminhar, mas sem perder o foco no compromisso das normas do ‘Protocolo Jogo Seguro’. – encerrou.