(Foto: Lucas Merçon - FFC)

O Fluminense não vivia um momento tão bom como o atual há muitos anos. Nas oitavas de final da Copa do Brasil e da Taça Libertadores, o Time de Guerreiros também briga na parte de cima do Campeonato Brasileiro. Em entrevista ao portal GE, o presidente do clube verde, branco e grená, Mário Bittencourt, revelou qual foi o grande mérito do Tricolor que explica a boa fase da equipe em 2021, que vem já desde 2020.

– Quem não tem dinheiro não pode fazer e desfazer. Se eu não tenho dinheiro para trazer os melhores, eu tenho que fazer uma base. E a gente está conseguindo manter entre 70% e 80% da base do time de um ano para o outro. Esse é o nosso grande ganho. Os caras já se conhecem, o ambiente é bom, o treinador chega e é abraçado pelo elenco. É um projeto nosso de gestão ter no mínimo 30% dos jogadores da base no elenco profissional, a gente hoje tem muito mais do que isso. O que a gente espera? Como falei em 2020, fui até muito criticado, é ser competitivo. O Fluminense vai ser competitivo, não tenho nenhuma dúvida disso. O resultado do último domingo é um exemplo, é um time que não se entrega, que tem equilíbrio – disse ele, prosseguindo:

– Mas a única solução do futebol brasileiro é o licenciamento de clubes, o Fair Play financeiro que nem tem na Europa, que você só pode gastar de acordo com o seu passivo”. O que é o licenciamento de clubes? A CBF vai entregar para a gente: “Sua dívida é tanto, você fatura tanto, então só pode gastar X com futebol”. O que é injusto hoje? Não vou citar nomes, mas você tem clubes que têm a dívida maior que a do Fluminense, tem o faturamento semelhante e tem o time três vezes mais caro. “Ah, mas ele atrasa quatro meses (de salários)…” Sim, mas às vezes ele chega na minha frente, então é injusto. Ele ganha um prêmio maior do que o meu fazendo uma gestão pior do que a minha. Há jogadores que saíram daqui com o salário em dia, mas nós não tivemos condição, em alguns casos, de pagar a verba rescisória. E nós estamos fazendo acordo com todos eles, com funcionários também, com anuência do sindicato” – finalizou.