Presidentes analisam implantação do Fair Play Financeiro

Presidentes analisam implantação do Fair Play Financeiro

Presidentes dos clubes se reuniram na CBF na última quinta (Foto: Divulgação)
Presidentes dos clubes se reuniram na CBF na última quinta (Foto: Divulgação)

A CBF foi o local de encontro entre representantes dos clubes com dirigentes da entidade na última quinta-feira. Na reunião, foi discutida a implantação do Fair Play Financeiro a partir de 2015, uma das reivindicações do movimento de jogadores Bom Senso F.C..

Estiveram na reunião os presidentes do Coritiba, Vilson Andrade Ribeiro; do Flamengo, Eduardo Bandeira de Melo; do Internacional, Giovanni Luigi; e do Vitória, Alexi Portella, além do vice-presidente Marco Polo Del Nero e do diretor jurídico Carlos Eugênio Lopes.

Os mandatários dos clubes fizeram suas considerações sobre a questão.

– Essa pauta de solicitações dos jogadores vem ao encontro do que os clubes já pleiteiam há algum tempo. Há muitas questões em comum, que precisam ser melhor discutidas, e que incluem direitos mas também obrigações. É bom ressaltar também, e agradecer, a participação importante da CBF, ao dar espaço e estimular as discussões de temas que são do interesse do futebol brasileiro – disse Vilson Andrade Ribeiro, presidente do Coritiba.

Giovanni Luigi, do Colorado, falou que haverá uma reunião futura para discutir outras reivindicações dos atletas:

– O Marco Polo nos apresentou a questão dos atletas, ponderando uma série de reivindicações, que foram estudadas por nós presidentes. Esse assunto será debatido em uma futura reunião, com a presença dos jogadores e de suas associações. Além disso, foi discutido o problema da dívida de impostos e a busca de uma solução para que os clubes possam saldá-la.

O mandatário rubro-negro, Bandeira de Mello, por sua vez, destacou a possibilidade dos clubes terem mais responsabilidade e melhorarem suas gestões com a responsabilidade financeira.

– Essa é uma questão de grande relevância, pois a partir da solução desse problema, os clubes poderão imprimir uma gestão de maior responsabilidade e com mais qualidade – encerrou.


Sem comentários