(Foto: Lucas Merçon - FFC)

Mais uma novela segue se arrastando. Contratado no dia 14 de junho de 2016, o meia Marquinho não conseguiu nem de perto o mesmo sucesso que obteve em sua primeira passagem pelo Fluminense. Enfrentando inúmeros problemas com lesão, o jogador foi dispensado pelo clube, junto com outros sete atletas, mesmo estando entregue ao departamento médico, no fim do ano passado. A ideia do Fluminense era economizar com as saídas forçadas, mas o que poderia ser uma solução, se tornou um pesadelo. O clube corre o risco de sofrer com mais penhoras, se perder – o que é o mais provável – a ação na Justiça que o atleta colocou contra o Tricolor.

Depois de dispensar o meia pelo telefone, o Fluminense, na figura do vice-presidente comercial, Ronaldo Barcellos, procurou o jogador para negociar e assim foi feito. O acordo ficou em R$ 6 milhões, dividido em 24 vezes de R$ 250 mil, selado na 19ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro. O clube até pagou a primeira parcela combinada, mas depois não continuou. Procurado pelo NETFLU na ocasião, o empresário do atleta, Marcio Rivelino, foi enfático ao falar sobre o tema:

– Em relação à parte financeira quem deve se preocupar é o Fluminense. Porque se não honrar com o combinado vai sair muito caro. E o relógio corre contra o clube! No acordo está tudo lá. De coração espero que arrumem um jeito de pagar o acordado, senão aí sim ficará muito complicada a situação.

O tempo passou e a diretoria do Fluminense não honrou com a palavra. Desta forma, como o portal Lancenet publicou, informação posteriormente confirmada pelo NETFLU, nenhum dirigente do clube procurou Marquinho ou seu representante para renegociar ou justificar a falta do pagamento da dívida. Por isso, o ex-atleta do Time de Guerreiros exige o pagamento integral das verbas, com multas que já estavam previstas em caso de atraso, ou seja, mais de R$ 7 milhões.

Procurado nesta sexta-feira para falar outra vez acerca do assunto, o empresário do jogador, Márcio Rivelino, preferiu não entrar no mérito da questão, salientando que os advogados estão cuidando do assunto e que o clube, de fato, segue sem ter pago outros valores, além de uma parcela de R$ 1 milhão.

– Está em juízo. Não posso falar. Se não me engano, só houve um único pagamento e mais nada – concluiu.

Em entrevista exclusiva ao site número 1 da torcida tricolor, Marquinho externou toda a sua decepção, no início do ano, pela forma como fora dispensado pelo Fluminense.

Cabe destacar que o Fluminense não se manifesta, como de praxe, sobre assuntos que transcorrem na Justiça.

Imagens do processo, exibidas inicialmente pelo portal lancenet: