Reservas jogam para o gasto e Flu estreia no Brasileiro com vitória

Reservas jogam para o gasto e Flu estreia no Brasileiro com vitória

Rafael Sobis fez de pênalti o primeiro gol do Fluminense (Foto: Photocamera)

Sem ser brilhante, o Fluminense estreou com vitória no Campeonato Brasileiro. Representado pelos reservas, o Tricolor bateu o Atlético-PR em jogo tecnicamente pobre na noite deste domingo, no Moacyrzão, em Macaé. Rafael Sobis e Samuel fizeram os gols, com Manoel descontando.

O time B do Fluminense mostrou desde o início que teria muitas dificuldades na partida. Ficaram evidentes a falta de ritmo e também de entrosamento. O Atlético-PR, com sua equipe principal, aproveitava-se disso e imprimia um ritmo forte, sendo bem superior em campo.

Mal o confronto tinha começado e Éderson já havia acertado o travessão de Ricardo Berna. Quando Diguinho acertou belo lançamento para Samuel e Cleberson, grosseiramente, derrubou-o na área, o Tricolor fez o que parecia impossível: sair na frente. Rafael Sobis, com tranquilidade, converteu.

A vantagem, no entanto, não melhorou o nível da atuação do Flu. O time apostava na ligação direta. Felipe não conseguia criar jogadas e os laterais também não foram capazes de virar opções interessantes. O Furacão, por sua vez, era muito mais perigoso. Éderson chegou, inclusive, a acertar uma outra bola na trave de Berna.

O 1 a 0 era lucro até que Manoel, após cobrança de escanteio, subiu sozinho para, de cabeça, deixar tudo igual. Neste momento, o resultado dizia um pouco mais claramente o que era a partida.

Na volta para a segunda etapa, Abel abandonou o esquema 3-5-2 ao trocar o zagueiro Anderson pelo meia Eduardo. A mudança melhorou o volume da equipe. Felipe deixou de ficar sobrecarregado com a tarefa de ser o único criador e cresceu na partida. Quem também entrou mais no jogo foi Rafael Sobis. Ele passou a sair da área e também buscar as bolas e foi justamente dos pés do atacante que saiu o passe para o gol de Samuel.

Mais uma vez na frente, o Fluminense passou a apostar nos contra-ataques. Isso deixou o confronto aberto novamente. O Atlético-PR se lançava e o Tricolor se defendia, esperando uma oportunidade para garantir as vitórias. Porém, quando as chances apareciam, faltava capricho nos passes. Fábio Braga e Samuel, por exemplo, erraram em dois lances que se desenhavam com perigo. O terceiro poderia até ter saído, não fosse um erro da arbitragem que assinalou impedimento equivocadamente quando Gum escorou para dentro cruzamento de Rhayner em cobrança de falta.

No fim, o Furacão aumentou a pressão e, se não fosse Ricardo Berna, a vitória não aconteceria. O goleiro fez defesas brilhantes em finalizações cara a cara com Paulo Baier e Manoel.

Agora, é foco total na Libertadores. Quarta-feira tem a volta das quartas de final contra o Olimpia no Paraguai.