Rodolfo não está apto para voltar a jogar neste Campeonato Brasileiro por questão de inscrição (Foto: Lucas Merçon - FFC)

Na última segunda-feira, a Câmara de Apelação da Conmebol reduziu a pena do goleiro Rodolfo, suspenso inicialmente por três anos, após ser pego no exame antidoping, ano passado, num jogo da Sul-Americana. A decisão foi comemorada demais pela família e pelo jogador, como conta a esposa do atleta, Yasmin Nunes, com exclusividade ao NETFLU.

– Estamos sentindo muita alegria. Deus é bom. Nos ajudou muito com a decisão da recuperação dele. Graças a Deus o Rodolfo está firme e forte – destacou.

Fora isso, ainda foi revogada a multa de US$ 20 mil (R$ 107,6 mil). Desde antes da pandemia, aliás, o atleta mantém uma rotina mínima de treinamento, para quando puder estar à disposição do Fluminense, novamente, já que teve o contrato suspenso pelo tempo que durar a punição.

– O Rodolfo vem treinando sim. Em casa mesmo. Ele nunca desistiu. É o sonho dele (jogar futebol). Na verdade (a suspensão do contrato) foi como se fosse uma paralisação (do vínculo). Quando acabar a pena, volta ao normal – recordou Yasmin ao portal número um da torcida tricolor.

O NETFLU tentou conversar com o próprio goleiro, mas devido a orientações do corpo jurídico do Fluminense, O jogador não vem se manifestando desde que sofrera a punição da Conmebol.

Vale lembrar que o arqueiro tricolor testou positivo para benzoilecgonina, um droga social, na vitória contra o Atlético Nacional-COL, por 4 a 1. Na partida, válida pela Copa Sul-Americana, o goleiro estava entre os reservas e não atuou. Com a nova decisão, ele está liberado para voltar aos treinamentos no dia 23 de março de 2021. Ao todo, ele defendeu o Time de Guerreiros em 34 partidas.