(Foto: Mailson Santana - FFC)

O Fluminense está final do Campeonato Carioca. Neste domingo, venceu a Portuguesa-RJ por 3 a 1, no Maracanã, e alcançou a vaga na decisão do Estadual do Rio de Janeiro, contra o Flamengo. Em entrevista, o técnico Roger Machado analisou a melhora da equipe na segunda etapa, com a entrada de Kayky. O garoto foi decisivo para o resultado com um gol e uma assistência.

– Com a equipe escalada com uma perna de velocidade e outra com um meia-ponta, como o Cazares, o que funcionou bem no primeiro jogo, não se repetiu no 1º tempo dessa partida. Não que não tenha funcionado. Qual era a obrigação dos dois atacantes? Era colocar os zagueiros a correr com a bola para nosso campo quando a bola entrava no corredor lateral, porque qualquer jogador correndo com a bola tem mais dificuldade de tomar decisão, ainda mais um zagueiro, que na maioria dos casos não é um meia, não é um volante. As vezes que roubávamos a bola, tínhamos dos lados a profundidade do Biel, mas do outro não tínhamos com o Cazares, que era uma bola mais apoiada, mais de construção. E a gente perdia velocidade porque o Samuel Xavier precisava se desprender da primeira linha para atacar e por vezes não tem tempo – disse ele, complementando em seguida:

– Então optei por dar essa perna de velocidade pelos dois lados e aproveitar essa retomada, que aconteceu com a mesma frequência do 1º tempo, mas que passamos a ter as velocidades pelas duas beiradas. E foi nesse tipo de jogada que conseguimos voltar à frente no marcador. As bolas que recuperamos pelo lado direito tentamos a invertida com o Cazares justamente para tentar acionar a velocidade do Biel, mas foram interceptadas. Essa foi a ideia da troca no intervalo – disse ele.