Roger traça planejamento para Fluminense chegar bem nos próximos dois compromissos (Foto: Lucas Merçon - FFC)

O Fluminense x Grêmio deste sábado, às 21h (de Brasília) no Maracanã, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro, vai marcar o reencontro entre um mentor e seu pupilo: Felipão e Roger Machado. O atual comandante gremista foi o primeiro técnico do ex-lateral como profissional.

O portal GE conta que as carreiras dos dois à beira do campo coincidentemente teve caminhos cruzados em diferentes momentos. Quando Felipão entregou o cargo no Grêmio em 2015, Roger foi o escolhido para substituir o comandante no clube. Três anos depois, os papéis se inverteram: em 2018, após Roger ser demitido pelo Palmeiras, Luiz Felipe Scolari foi contratado para herdar o posto deixado pelo pupilo.

O primeiro confronto aconteceu no Estádio do Vale, no dia 25 de março de 2015, em jogo da antepenúltima rodada do Campeonato Gaúcho. O Grêmio de Felipão liderava o Estadual, enquanto o Novo Hamburgo de Roger Machado era o oitavo, na última posição dentro da zona de classificação. Em um jogo truncado e com dois gols anulados do Tricolor, o que decidiu foi uma falha: o goleiro Jandrei aceitou um chute de fora da área de Ramiro. Com o resultado, o Grêmio manteve a ponta e carimbou sua vaga nas quartas de final, enquanto o Novo Hamburgo caiu para nono.

A revanche de Roger não tardou a acontecer. O Novo Hamburgo se recuperou na última rodada e conseguiu se classificar em sétimo lugar, posição que o colocou nas quartas de final diante do Grêmio, que perdeu a liderança para o Inter. Em jogo único na Arena no dia 9 de abril, desta vez o time de Roger conseguiu furar a forte defesa gremista na bola parada: gol de falta de Fred. Mas a equipe de Felipão, que teve gol anulado, pênalti perdido e duas bolas na trave, arrancou o empate com Geromel. O 1 a 1 levou a disputa para os pênaltis, e o goleiro Marcelo Grohe virou herói ao defender duas cobranças.

O terceiro e último confronto até aqui demorou quatro anos. Os dois se reencontraram no dia 11 de agosto de 2019, na Arena Palmeiras, em jogo da 14ª rodada do Brasileiro. O Palmeiras de Felipão abriu o placar com Dudu e controlava a partida até ficar com um a menos após a expulsão de Felipe Melo no fim do primeiro tempo. Na etapa final, o Bahia de Roger estufou a rede duas vezes em pênaltis marcados pelo VAR e convertidos por Gilberto. Mas entre uma cobrança e outra, Dudu também fez mais um, e o resultado foi pior para o Alviverde, que perdeu a chance de encostar no líder Santos.