(Foto: Mailson Santana - FFC)

O Fluminense conseguiu um importante empate, fora e casa, contra o Bragantino, depois de sair perdendo o jogo por 2 a 0. No segundo tempo, o técnico Roger Machado tirou Paulo Henrique Ganso, um do melhores em campo. Ele explicou a mudança.

– O Paulo é um articulador, porém tinha hoje no campo o Luiz, que por característica não é jogador que puxa profundidade, ele joga com corpo do adversário. O Caio busca essa profundidade, e o Abel é mais centralizado, joga entre os zagueiros. Enquanto quando a gente pegava essa bola e municiava o Caio, como estávamos recompondo com nossos dois pontas, demorava que a gente tivesse opção de primeira profundidade vinda do centro do campo.

– A opção por tirar o Paulo e adiantar o Yago, que tem fluidez naquela zona do campo como meia que já foi, a gente tinha ao pegar a bola o Raul puxando por um lado, depois o Kayky pelo outro, que tem bom um contra um. E com a substituição pelo Nenê foi para definitivamente tentar o empate, como conseguiu. Então a busca por colocar os dois atacantes, imaginava que fosse perder um pouco o controle do jogo técnico, mas ganharia em velocidade nas costas da linha adversária. Foi o que aconteceu – concluiu.