Roger Machado destacou o quanto a torcida empurra o time para a frente quando está presente (Foto: Lucas Merçon - FFC)

Depois do jogo da última quinta-feira, quando o Fluminense superou o Santos por 1 a 0, no Maracanã, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro, Roger Machado comentou a diferença de atuar no campo com portões fechados. Na visão do técnico tricolor, muda muito o estilo do jogo a ausência da torcida, uma vez que em casa a equipe é “empurrada” a propor o tempo inteiro e marcar o adversário por pressão.

— A ausência do torcedor acaba mudando um pouco a dinâmica do jogo. Porque, se estamos jogando dentro de casa, contra um adversário que tenta te insinuar a posse com o goleiro para te atrair lá de trás, a gente não conseguiria fazer o bloco baixo, como fizemos, porque a torcida, evidentemente, quer sempre que seu time busque a bola no campo adversário todas as vezes. Mas não dá para marcar pressão sempre – disse.

Em quinto lugar no Brasileiro com oito pontos em quatro jogos, o Fluminense visita o Fortaleza, líder com dez, no domingo, no Castelão.