(Imagem: Lucas Merçon/Fluminense FC)

Após o empate sem gols entre Fluminense e Ceará, o técnico Roger Machado concedeu entrevista coletiva aos veículos de imprensa e abordou vários pontos, inclusive a questão da posse de bola do Flu no confronto. Na partida desta quarta-feira o Tricolor das Laranjeiras teve mais tempo com a bola no pé e fechou os 90 minutos com 63% de posse, número superior a média do clube no campeonato que é de 44,1%.

O treinador afirmou que o Ceará abriu mão de jogar com a bola e deu espaço para o Fluminense durante todo o duelo.

– Temos sempre que contextualizar o adversário. O adversário de hoje abriu mão de tentar brigar pela posse de bola e marcou em um bloco baixo, então, naturalmente teríamos mais posse. O fato também de buscarmos alternativa, com o Biel no tripé, é justamente pela característica do adversário. Buscamos com ele velocidade nos três corredores e flutuação na primeira linha. Foi o que aconteceu na maior parte das jogadas, com Biel flutuando e Luiz e Caio arrastando pelos lados. Isso gerou muita dificuldade para o Ceará. Por isso foi um jogo diferente. Obviamente a característica dos jogadores, diferente em cada função, dá uma combinação de jogo diferente. Não houve milagre nenhum dentro da estrutura que a gente tinha, apenas características diferentes que proporcionaram um tipo de jogo diferente.