2O Fluminense e/ou o Consórcio que gere o Maracanã prometem um posicionamento oficial sobre o pagamento de aluguel dos dois últimos jogos do clube, contra Joinville e Corinthians. Um grupo de sócios do grupo político Esperança Tricolor, em carta, pediu que a diretoria justifique, já que, no contrato assinado em 2013 não havia qualquer despesa desta natureza por parte da agremiação.

“Essa questão da relação comercial com o consórcio que administra o Estádio Maracanã é de interesse de todos os sócios já que constitui parte importante das receitas auferidas pelo clube e com isso impactam a qualidade dos serviços oferecidos ao quadro social e o equilíbrio financeiro do nosso carro chefe, o futebol. Segundo informações divulgadas pelo clube, temos tratamento especial com relação aos custos. De acordo com o borderô o clube pagou R$ 460.000,00 só de aluguel em dois jogos. Então, conforme questionado, o Fluminense mudou seu contrato e aceitou essa cobrança de uso do estádio? Se sim, porque? Qual o objetivo financeiro? Ajudar ao Consórcio? O que ganhamos com isso? Que se cumpram então os esclarecimentos aos corretos requerimentos protocolados pelo Conselheiro em questão na próxima reunião do Conselho”, diz a carta enviada pelos sócios.

A Concessionária que administra o estádio explica que foram feitos testes nas duas últimas partidas. Um posicionamento oficial das duas partes será dado ainda nesta semana.

Contra o Joinville e também contra o Corinthians, Fluminense e Maracanã implantaram modelos pilotos para que o clube participe da arrecadação de todo Estádio e não somente dos setores situados atrás dos gols. Cabe ressaltar que a nomenclatura ‘aluguel do estádio’, item 21 do borderô, é a rubrica para registrar a participação do Maracanã na renda“, explicou, em nota, o Consórcio Maracanã.


Sem comentários