Foto: Gilvan de Souza

Ronaldo Piacente, presidente do STJD, acompanhou a reportagem do Esporte Espetacular da TV Globo, que, por leitura labial, comprovou interferência externa na anulação do segundo gol do Fluminense no clássico com o Flamengo na última quinta. O mandatário do Tribunal, que pediu na semana passada “uma prova muito robusta”, já admite a existência de um fato novo e que precisa ser analisado com muito cuidado.

– Não deve haver esse tipo de comunicação, isso não pode. O árbitro não tem que falar assim, como aparece. Mas precisamos analisar. Interferência. A palavra a ser analisada é essa. Os árbitros precisarão se explicar. Vamos querer ouvir todos. Por que mudaram a decisão? O que levou a isso? Quando? Por que se comunicaram? Tudo isso. A coisa está caminhando. Já é diferente de sexta, temos uma nova situação. Com certeza temos elementos mais robustos. É necessário tratar com muito cuidado, não podemos errar. É a questão como um todo, não só o fato de estar impedido ou não. Tem uma regra. Ela não foi cumprida? Vamos ver. Há ainda princípio da moralidade, a questão do fair play. Até que ponto é moral um gol impedido ser validado? Mas até que ponto podemos admitir a comunicação? Seria um erro também. Tudo isso precisa ser levado em conta – disse.


Notícias pelo Messenger Notícias pelo Messenger