(Foto: Lucas Merçon - FFC)

Questionado em entrevista coletiva após ser derrotado novamente pelo Fluminense, desta vez por 3 a 1, no Maracanã, terça, Diego López, técnico do Peñarol, reiterou que considerou o Tricolor mais difícil de ser enfrentado que o Flamengo. O treinador reconheceu o trabalho e o desgaste para marcar a equipe comandada por Fernando Diniz.

– Não sei se, na verdade, é melhor do que o Flamengo. Para a gente, o Fluminense foi mais difícil do que o Flamengo. Jogamos muito bem na defesa contra o Flamengo, mas o Fluminense nos desgastou mais para recuperar a bola. Em Montevidéu foi pior do que aqui. Lá, a gente não recuperou nunca. Aqui melhoramos. No segundo tempo, estivemos melhor – analisou o comandante.

O Fluminense conseguiu a classificação para as quartas de final da Copa Sul-Americana com duas vitórias sobre o Peñarol: 2 a 1, no Uruguai; e 3 a 1, no Maracanã. López considerou a derrota em casa fundamental para a queda na competição.


– Acho que a chave do confronto foram os dois gols que o Fluminense marcou lá no Uruguai. Em confrontos eliminatórios, tem de construir o resultado em casa. Então, bom, sabíamos que era difícil, mas tentamos reverter aqui o resultado e classificar. Acredito que nos faltou agressividade de marcar quando não tínhamos a posse de bola. Em jogos internacionais, com este problema, fica difícil. Não é suficiente. Não jogamos à altura do que é Peñarol e no que era necessário para passar de fase – concluiu.