No primeiro jogo do Fluminense na temporada, em janeiro, contra o PSV (HOL), pela Florida Cup, Henrique Dourado deu uma entrevista polêmica. Disse textualmente que não gostaria de seguir com sua carreira no clube. Menos de um mês depois, era anunciado pelo Flamengo e apesar de quatro gols – três de pênalti –  vem sendo questionado pela torcida rubro-negra e reencontra o ex-clube sob pressão.

O Ceifador foi vaiado no primeiro tempo do jogo contra a Portuguesa, no último domingo. “brigou” com a bola em alguns momentos e irritou os torcedores, que o hostilizaram e pediram a entrada do jovem Lincoln, da base. As pazes vieram no segundo tempo, quando o centroavante fez o gol de pênalti. Ao ser substituído, aos 25 minutos, foi aplaudido.

– O Dourado está sendo inserido agora no grupo. Mas não quero discutir isso. Eu ligo para todos os meus jogadores, dos goleiros ao Dourado. Estou confiante e convicto – disse o técnico do Fla, Paulo César Carpegiani.

No Fluminense, Henrique Dourado viveu a melhor fase da carreira. Marcou 32 gols em 2017, apesar de o time não ter conseguido ter feito uma boa temporada. Terminou o Brasileirão em 14º, parou nas oitavas de final da Copa do Brasil, quartas da Sul-Americana e não disputou as finais do Estadual.

O reencontro entre Flu e seu ex-camisa 9 acontece nesta quinta-feira, às 20h, no Engenhão. O Tricolor joga pelo empate para disputar a final da Taça Rio e, conquistá-la, também obterá vantagem do empate nas semifinais do Estadual.