(Foto: Lucas Merçon - FFC)

O Fluminense, junto ao balanço de 2021, publicou carta do presidente Mário Bittencourt aos tricolores. No documento, o mandatário destacou a alegria pelo reencontro com o título estadual, admitiu as dificuldades pelas enormes dívidas herdadas e também destacou a melhora diária do clube.

Confira, na íntegra, as palavras do presidente do Fluminense:

“Meus caros Tricolores,


Primeiramente gostaria de dividir com vocês a enorme alegria pela conquista do estadual de futebol há poucos dias por nosso time masculino, após dez anos perseguindo um título. Aproveito este momento para agradecer a todos de nossas equipes que se empenham diariamente para que conquistas como estas voltem a acontecer. Tenho certeza de que todos estão trabalhando com afinco. Mas neste caso, em especial, quero dizer um muito obrigado renovado, pois os títulos são o motor de nossa reconstrução. E recomeçamos a conquistá-los sem abandonar nossos princípios de Credibilidade, Estabilidade e Austeridade. Essa é a maior vitória que se verá ao analisar as linhas e entrelinhas do documento que agora lhes encaminho.

Todos os anos procuro compartilhar minha visão sobre o Fluminense nesta carta que lhes chega agora. Mas não apenas em seus aspectos financeiros, pois todas as dimensões da inserção da instituição na sociedade são relevantes para nossa existência e desenvolvimento. O Fluminense é um ser vivo, um organismo que respira movimentando paixões, promovendo saúde, bem-estar e ensinando a centenas, milhares de crianças e jovens os caminhos de uma vida guiada por princípios sólidos. Deixá-los saudáveis é nossa luta diária.

Os números nestas páginas nos trazem boas notícias. Passamos pela longa noite da maior crise sanitária já vivida pela civilização e ainda assim conseguimos avanços em todas as áreas. A começar pelas finanças, pois apesar de todo o impacto da pandemia obtivemos superávit de R$ 22 milhões em nosso resultado operacional. Ou seja, o Fluminense teria dado lucro, se não fosse pela enorme pressão das dívidas do passado.

Parte desse resultado se deve à conquista de premiações, à venda de jogadores, obtenção de patrocínios e ao esforço de nossos departamentos jurídico e financeiro para a renegociação com nossos credores. Nesse aspecto, cabe ressaltar que teremos resultados ainda melhores nas demonstrações do próximo ano, quando já estarão contabilizados os ganhos com o alongamento da dívida obtido pelo Regime Centralizado de Execuções recentemente aprovado, uma conquista de enorme relevância.

Da mesma forma começamos a ter resultados positivos em nosso programa de Sócio Futebol graças à decisão de mudar a plataforma de relacionamento, o que nos trouxe ganhos de eficiência nos recebimentos e nos fez recuperar o número de sócios que perdemos durante a pandemia. Quando chegamos ao clube, nossa gestão encontrou apenas 13 mil sócios. Hoje passam de 35 mil aqueles que nos apoiam em nosso trabalho de reconstrução. E muitos continuam chegando todos os dias. Em breve, com o lançamento dos nossos planos de sócios, esperamos aumentar ainda mais a receita. Mas essas são histórias do futuro.

Em 2021, conseguimos superávit operacional sem deixar de lado os importantes investimentos no futebol. Aumentamos a folha salarial de nosso time principal, tivemos gastos com viagens para as competições internacionais, investimentos em equipamentos de fisioterapia, fisiologia, preparação física e análise de rendimento dos atletas. E não foi apenas isso. Em Laranjeiras, reformamos uma parte do espaço interno para abrigar nossos funcionários em instalações que estimulem a produtividade e a troca entre as equipes. Em Xerém, demos os primeiros passos da reforma que fará de nossa academia de formação de jogadores uma das mais bem equipadas do mundo. Além do aumento de ganhos, conseguimos reduzir o principal de nossa dívida em R$ 28 milhões. Ou seja, pagamos juros, serviços e ainda assim tivemos uma pequena melhora. Sinal de estarmos no rumo certo.

Mas se engana quem imagina que a dificuldade acabou. Estamos trabalhando firme para enfrentar uma realidade que nos foi legada, de dívidas não negociadas, de penhoras diárias e de ineficiências. Mas trabalhamos com a certeza de estarmos melhorando a cada dia. A pandemia apenas nos atrasou, impossibilitando que realizássemos tudo o que projetamos, mas essa foi a tônica de quase todas as empresas e instituições no mundo.

Saudações Tricolores

Mário Bittencourt”