Por detalhes de ser anunciado como jogador do Fluminense, o zagueiro Matheus Ferraz divide opiniões de muitos torcedores. Com 33 anos, o defensor já é considerado veterano e, por consequência, não tem muita agilidade. Por outro lado, tem um jogo aéreo forte e espírito de liderança, tendo sido capitão por onde passou.

– O ponto principal é a experiência dele. Além disso, é um ótimo jogador de grupo, que se entrosou rápido quando chegou ao América. É um atleta com postura de capitão. Quando chegou era banco, mas assumiu a titularidade já recebendo a faixa. Em campo ele faz mais o básico. É consistente, mas não tão focado na velocidade. Dá mais força. Ele chegou até o Coelho sendo zagueiro artilheiro, mas não conseguiu marcar. Ficou mais marcado pela liderança – analisou a repórter Karina Amélia, da “Rádio CDL”, de Belo Horizonte.

Já para a jornalista Isabelly Morais, da Rádio Inconfidência, o jogador deixa a desejar em outros pontos, como por exemplo o tempo de bola, mas, no geral, teve uma boa temporada de 2018 ao lado de Messias no América-MG.

– Quando o América contratou o Matheus Ferraz, já tinha uma dupla zaga montada para seguir como titular: Messias e Rafael Lima. Mas com a saída do Rafael, Ferraz pegou de imediato a titularidade e não a largou mais. Ele deu certo ao lado de Messias por sua experiência, apesar de ter falhado feio em algumas partidas. No geral, foi uma boa passagem em 2018, mas precisa se atentar um pouco mais ao tempo de bola, já que, em algumas oportunidades, os adversários conseguiram trocar passes com facilidade dentro da área americana por seu lado – completou.