Uma manhã especial para o Fluminense, em Edson Passos, diante do Sport Recife. Tendo a chance real de terminar a rodada no G4, o Time de Guerreiros viu as dependências do Estádio Giulite Coutinho lotadas, num duelo duro, mas vitorioso frente aos pernambucanos. Com Scarpa apagado até o finzinho, quando fez um lindo gol, além de Wellington inspirado, os comandados de Levir Culpi venceram por 3 a 1.

Apesar de alguns testes durante a semana, o técnico tricolor preferiu repetir a escalação que bateu o Corinthians, fora de casa, sem um homem de referência. Apostar num ataque mais leve, escalando três volantes, apesar de Cícero flutuar mais ofensivamente, não encaixou como Levir gostaria. Assim, o Sport Recife tomava conta das principais ações, na etapa inicial.

O protagonismo estava por conta de Diego Souza, que criava a maioria das jogadas. O primeiro gol da partida foi proveniente, inclusive, de um escanteio bem cobrado por ele. Ali no primeiro pau, a bola resvalou em Gum e matou Julio Cesar. A verdade é que, não fosse Julio Cesar e a má concepção ofensiva do time pernambucano, o primeiro tempo poderia ter terminado com vantagem ainda maior para os visitantes.


Na etapa complementar, uma substituição deu mais penetração ao Tricolor: a saída de Douglas para a entrada de Richarlison. Wellington, que errou praticamente tudo o que tentou no primeiro tempo, acordou. Tanto que, com 8 minutos jogados, ele apareceu na grande área, limpou para dentro e bate forte. Magrão faz ótima defesa, mas a bola sobrou para Marcos Júnior só empurrar para dentro! É o empate do Flu!

Dali em diante, ficou claro o posicionamento mais defensivo do Sport, querendo o contra-ataque. Enquanto Julio Cesar fechava o gol pelo lado Tricolor, Magrão também fazia o que podia, pelo Sport. Marcos Jr, Richarlison e Wellington, movimentando-se bastante, deixavam louca a defesa nordestina. Não demoraria para sair o gol da virada. Richarlison, no passe espetacular de Wellington, completou. Já no fim do duelo, Scarpa fez uma pintura, encobrindo o goleiro numa cavadinha, dando números finais: 3 a 1. É Fluzão, é G4!