(Foto: Lucas Merçon - FFC)

Uma das dificuldades em ser atleta profissional de futebol e atuar por um grande clube é a exposição e a cobrança. Em entrevista, o volante Yago relatou um pouco do desafio que é conciliar as duas coisas, ainda mais em momentos quando o clube está mal e os resultados não aparecem.

– Jogador não é robô, nós somos seres humanos. Posso me posicionar. Não é porque sou jogador que tenho que falar só de futebol. As pessoas pensam que jogador é um robô feito só para jogar bola. Que se perder na quarta, não pode ir à praia ou ao restaurante na quinta. Só pode sair se vencer o próximo jogo. Como se a gente não tivesse direito a ter vida social, exceto quando estamos vencendo – desabafou.

No Flu, porém, a fase atual é boa. Apesar da perda do título estadual para o Flamengo, o Fluminense conseguiu uma vitória histórica sobre o River Plate (ARG), no Monumental de Nuñez, na última terça, e avançou às oitavas da Libertadores, mantendo o sonho da conquista vivo.