Luis Fernando Miranda, torcedor do Fluminense de 61 anos, viu seu amigo Marcos Arruda, de 64 e também tricolor, ser covardemente agredido por um flamenguista na saída do Maracanã no clássico do último domingo. Em entrevista ao portal Globoesporte, o torcedor lamentou o ocorrido e explicou como se originou a confusão.

– A gente foi muito zoado. Zoação muita agressiva, nos chamavam de time de v…, tricolor v…. Nos filmavam para nos humilhar e intimidar. O Marquinhos se irritou e jogou uma Coca Cola, e o garoto deu um soco em um senhor como se fosse em um marginal que o tivesse agredido. Eu gritava “Marcos v…, Marcos v…”. Ele perdeu a calma. Na cara dele, quase que apontando. Parece que o garoto queria que isso acontecesse para poder dar o soco. Como o Marquinhos é especial, jogou meio copo de Coca no garoto, e ele revidou com um soco – contou ele.

Marcos Arruda é portador de necessidades especiais por conta de complicações que teve ainda em seu nascimento. Morador de Serrinha do Alambari, cidade próxima a Visconde de Mauá, ele tem o hábito de vir ao Rio de Janeiro para assistir aos jogos do Fluminense in loco. E seu amigo Luis Fernando sempre o acompanha.

– Ele é amigo da família da minha esposa e tem uma memória fantástica. Sabe tudo de futebol e sempre escutou a Rádio Globo. A paixão pelo futebol e pelo Fluminense são os nossos assuntos em comum e sempre vamos aos jogos – explicou Luis.

À convite do clube, ambos assistirão o Fla-Flu desta quarta-feira no camarote tricolor e serão homenageados pelo Tricolor.

– É uma iniciativa muito boa. Frequento o Maracanã desde os 9 anos. Naquela época, se a gente errasse o lado da torcida, no máximo recebíamos uma chuva de bolinha de papel. Precisamos de paz. O torcedor do outro time não é inimigo, ainda mais sendo senhor de idade. Hoje em dia há muito desrespeito e intolerância. Ninguém aceita o outro, tem que ser o primeiro sempre. – encerrou ele.