Aproximadamente dez anos atrás, Wellington e Sassá dividiam o mesmo espaço. Não no campo, mas na sala de aula. Eles estudaram juntos no Colégio Percepção, em Irajá, Zona Norte do Rio de Janeiro. Amigos desde então, se reencontram pela primeira vez nesta quarta, às 16h, na Ilha do Governador, como rivais e destaques de Fluminense e Botafogo.

– Começamos uma amizade mais forte no colégio. A gente gostava de jogar no mesmo time, fazia a nossa panela. Será um dia especial para ele e para mim. Está em uma fase incrível, fazendo gol em quase todos os jogos, espero que não faça contra a gente – contou Wellington.

E quem tirava as melhores notas?

– Eu, sou mais inteligente (risos). A gente dividia a mesma sala, mas nós nunca jogamos contra. Ele foi embora (para a Europa) muito cedo – brincou Sassá.

Responsável pela parte esportiva do colégio, Alessandro Seixas lembra da “panelinha”.

– Eles eram tranquilos. Sassá sempre foi bom aluno, nunca deu trabalho. Wellington era mais atirado nas garotas, mais galanteador. Mas eles estudavam bastante, eram dedicados, e jogavam no time do colégio junto com Rafinha (ex-Fluminense), Camacho, Diego Maurício e Muralha (ex-Flamengo), Christiano (ex-Vasco)… A gente tem uma geração boa – destacou, respondendo rápido se a dupla era titular do time da escola.

– Sim. Quem iria barrar eles? (risos)