Foto: Nelson Perez - FFC

Se antes era o setor mais criticado do Fluminense, a defesa teve uma melhora significativa em 2017 e passou a ser um dos trunfos para o bom momento tricolor. Em seis jogos no ano, o time das Laranjeiras sofreu apenas três gols (todos pela Primeira Liga). Além das peças, Abel Braga modificou o sistema defensivo.

No miolo da zaga, Renato Chaves assumiu o lugar do antes questionado Gum. As laterais também ganharam novos jogadores. Lucas e Léo ficaram com as vagas dos negociados Wellington Silva e William Matheus, respectivamente. Ou seja, dos quatro lá de trás, só Henrique continua. À frente da defesa entrou o equatoriano Orejuela. Fora isso, a marcação começa lá na frente, com a ajuda dos apoiadores e atacantes.


– A nossa marcação começa com o Scarpa, com o Wellington e com o Dourado. Estou satisfeito. A defesa só é forte quando o pessoal da frente ajuda. Temos de pensar como equipe – explica Abel.

Confira os números da defesa do Fluminense em 2016 e 2017:

Defesa 2016
66 jogos
72 gols
1,09 de média

Defesa 2017
6 jogos
3 gols
0,5 de média