3O Fluminense foi a Búzios, Região dos Lagos do Rio de Janeiro, buscar um ídolo. Autor do Gol de Barriga, que completa 20 anos nesta quinta-feira, Renato Gaúcho confirma que já pensava na aposentadoria. Mas um jornalista e o vice de futebol na época, Alcides Antunes, impediram o fim da carreira. O primeiro, torcedor tricolor, corriqueiramente, “mandava recado” ao dirigente na rádio, lembrando que Renato estava na cidade litorânea.

– Eu estava em Búzios com a minha família e amigos, e já havia dito a eles que não queria mais, que queria parar porque não aguentava mais concentrações, lesões… queria curtir a família. Já tinha conquistado tudo, feito muito pelo futebol. Achava que ia parar, aí que surgiu o Pierre Carvalho (então repórter da Rádio Globo) e o Alcides Antunes (dirigente do Flu). Me lembro que estava tomando café de manhã cedo com uns amigos e chegaram lá do nada, até estranhei: “Viemos te buscar para você jogar no Fluminense”. Eu disse que seria meio difícil porque não tinha a ideia de continuar jogando. Até sabia que poderia jogar mais dois ou três anos, mas não aguentava mais ficar preso em concentração. Aí foram falando, falando… me convencendo, me convencendo..- disse Renato, lembrando do papel fundamental da esposa na decisão:

– Eu nunca havia jogado no Fluminense, que precisava de um ídolo, precisava ganhar um título. Estava há nove ou dez anos sem ganhar nada. Acho que os principais argumentos foram esse. Lembro que a Maristela (esposa) falou: “Vai, joga mais um pouco. Está no Rio mesmo. Joga e tenta ajudar”. Então a opinião dela foi importante também. Aí eu fui. Acho que estava com 32 anos. O que eu não aguentava mais era concentração. O jogador de futebol perde toda a juventude. Todos se divertem no fim de semana, mas o jogador está preso. Sofre muito neste sentido de não aproveitar muito a vida na melhor fase.


Sem comentários