Zinzane chegou ao Fluminense durante período de pandemia (Foto: Lucas Merçon/FFC)

Reportagem do jornal O Globo sobre o desempenho financeiro dos clubes durante a pandemia do novo coronavírus mostra que a terra não está arrasada em 2020. No que diz respeito especificamente ao Fluminense, o clube até teve um salto nas suas receitas comerciais no terceiro trimestre.

De acordo com levantamento levando em consideração os balancetes divulgados pelo Tricolor das Laranjeiras, o Flu arrecadou 81% dos seus R$ 5,1 milhões em patrocínios neste período. O que dá R$ 4,1 milhões.

O veículo destaca também o fato da gestão comandada pelo presidente Mário Bittencourt ser adepta às permutas em troca de exposição no uniforme. Desta maneira, em vez de contabilizar como refeitas, serviços prestados por parceiros são abatidos nas despesas. É o caso do Hotel Nacional, por exemplo. Outras marcas, no entanto, vieram para aportar dinheiro, como a Zinzane.


Neste período, o clube teve prorrogação de acordo com a Tim e rescisão com a Azeite Royal. Ambas as marcas citadas tiveram o mesmo comportamento em relação aos outros três grandes do Rio de Janeiro: Flamengo, Vasco e Botafogo.