A Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) vai investigar o contrato de concessão do estádio do Maracanã, administrado desde 2013 pela Odebrecht. O deputado estadual Rodrigo Amorim, do PSL, protocolou um pedido para a abertura de comissão especial que visa apurar a má gestão do esporte no estado do Rio de Janeiro.

Com 41 assinaturas de outros parlamentares, a comissão terá função semelhante à de uma CPI e a intenção dos deputados é conseguir sua instalação até o fim do mês. Na próxima sessão, marcada para terça-feira, dia 12 de março, os integrantes do grupo serão definidos.

O estádio do Maracanã é administrado pela Odebrecht desde 2013, quando sofreu uma reforma bilionária no valor de R$ 1,2 bilhão, ainda no governo de Sérgio Cabral, no Rio de Janeiro.