MARCOS FELIPE – NOTA: 5,5
– Sem culpa no gol sofrido, deu um susto no torcedor ao quase soltar uma bola nos pés de Cano em uma cabeçada fraca de Andrey. Seria uma falha bisonha. Por sorte, recuperou-se. No fim, porém, salvou o time da derrota em finalização frontal da entrada pequena área

CALEGARI – NOTA: 4,0
– Mal no apoio, errou muitos passes bobos e deixou muito a desejar no último terço do campo. Na marcação, foi um pouco melhor, mas ainda sim deu alguns espaços pelo setor

NINO – NOTA: 5,5
– Em contra-ataque no fim, salvou uma bola de carrinho que chegaria limpa para o atleta vascaíno ficar cara a cara com Marcos Felipe e com boas chances de fazer o segundo. Foi bem nos cortes pelo alto e por baixo, apesar de ter titubeado em alguns momentos

FRAZAN – NOTA: 2,0
– Com Frazan em campo, o perigo é iminente. Todo torcedor já percebeu que o zagueiro não tem a menor condição de vestir a camisa tricolor, menos Roger Machado. Reginaldo é craque? Longe disso, mas merece ser testado. Melhor do que insistir em um que todos sabem que é fraco

EGÍDIO – NOTA: 3,0
– Mais uma vez o gol adversário sai pelo seu lado do campo, o mais frágil do setor defensivo. Muito mal na marcação e no apoio, errou diversos cruzamentos e voltou a ser o Egídio de 2020 antes da reta final do Brasileirão

MARTINELLI – NOTA: 6,5
– Um dos poucos que se salvou. Foi o mais lúcido do meio-campo tricolor e desafogou a equipe pelo setor

YAGO – NOTA: 5,0
– Muita disposição, como sempre, mas faltou tranquilidade em alguns momentos para achar o melhor passe e conduzir melhor a bola

NENÊ – NOTA: 5,5
– Não deu sequência a praticamente nenhuma jogada no segundo tempo e estava visivelmente cansado. Demorou para ser sacado por Roger. No entanto, foi dele a assistência precisa para Fred marcar de cabeça. Ganha pontos por isso

LUIZ HENRIQUE – NOTA: 4,5
– Vê-se que tem habilidade, velocidade e qualidade com a bola no pé, mas na hora de tomar a decisão final, sempre faz a escolha errada. Seja um erro de passe, ou um drible a mais que poderia ser um passe ou finalização. Precisa definir melhor

LUCCA – NOTA: 2,0
– Um completo peso morto no primeiro tempo. Não há justificativa para que siga como titular. Bem substituído no intervalo

FRED – NOTA: 6,0
– Marcou mais um, seu terceiro gol em dois jogos. Enquanto teve fôlego, foi muito útil. Seu pior momento no jogo foi no final da primeira etapa, quando levou pancada e jogou no sacrifício até o intervalo. No segundo tempo, cansou e foi sacado

(GABRIEL TEIXEIRA) – NOTA: 6,0
– Sua entrada melhorou a equipe no segundo tempo, dando mais velocidade pelo lado esquerdo do campo. Deu uma boa finalização de fora que passou raspando a trave.

(KAYKY) – NOTA: 5,5
– Tem muita qualidade com a bola nos pés, mas não precisa mostrar isso o tempo todo. A torcida já sabe. Melhor fazer o simples e soltar a bola mais rápido, do que ciscar para um lado e para o outro e acabar perdendo a bola.

(GANSO) – NOTA: 4,5
– Clareou o jogo algumas vezes com bons passes, mas faltou ser mais incisivo quando teve os espaços

(JOHN KENNEDY) – NOTA: 4,5
– Entrou com vontade em excesso, mas faltou tranquilidade para fazer as jogadas e finalizar

(WELLINGTON) – SEM NOTA
– Entrou nos minutos finais para reforçar a marcação pelo meio

ROGER MACHADO – NOTA: 3,0
– Suas teimosias já começam a ficar intoleráveis. A insistência em Frazan e Lucca beira a insanidade. Sem Matheus Ferraz e Luccas Claro, por quê não dar uma oportunidade a Reginaldo? Com Kayky, Gabriel Teixeira e John Kennedy no banco, Lucca é mesmo a melhor opção para continuar jogando? Não precisa ser um gênio para chegar a essas conclusões. Tem escalado o time muito mal e os dois últimos tropeços, contra Volta Redonda e Vasco, podem e devem ser colocados na sua conta por isso. Abre o olho, professor!