fredeciceroLeandro Dias

 

DIEGO CAVALIERI – NOTA 5,5


– Não foi tão incomodado. Fez uma defesa o jogo todo e viu o Boavista carimbar a trave.

JONATHAN – NOTA 5,5

– Não repetiu as atuações dos dois jogos anteriores. Errou mais passes do que de costume, mas não comprometeu.

GUM – NOTA 6,5

– Muito seguro. Pelo alto, soberano. Até no mano a mano teve inteligência.

HENRIQUE – NOTA 6,5

– Mesmo nível do companheiro. Sua evolução física e técnica é notória.

WELLINGTON SILVA – NOTA 6,5

– Tem dificuldades com o pé esquerdo, mas compensa com vontade. Mais ofensivo do que na partida contra o Inter, contribuiu com a vitória ao cruzar a bola que Luiz Alberto empurrou para o gol.

PIERRE – NOTA 6,0

– Mais uma vez se destacou pelo bom posicionamento. Não faz mais tantas faltas e passa com qualidade.

CÍCERO – NOTA 6,5

– A qualidade costumeira na saída de jogo. Quando a marcação apertava, era quem colocava a bola no chão. No fim, mais a frente, fez o terceiro gol do time, o de número 150 da carreira.

GUSTAVO SCARPA – NOTA 6,0

– Tem jogado mais para o time e, por isso, não aparece tanto. É participativo, porém, não tão decisivo quanto em 2015. Fez boa tabela que resultou no gol de Cícero.

GERSON – NOTA 6,0

– Deu a impressão que arrebentaria. Logo aos seis minutos, achou Osvaldo, num passe magistral. Caiu de produção com o decorrer da partida.

*DOUGLAS – NOTA 5,0

– Substituiu Gerson e deu liberdade para Cícero chegar mais ao ataque. Boa troca de passes.

OSVALDO – NOTA 7,0

– Marcou seu terceiro gol em dois jogos. Confiante, ainda arriscou um voleio e quase fez outro em chute cruzado. Subindo de produção.

*MARCOS JÚNIOR – NOTA 5,0

– Entrou mal, confuso. Time ficou muito preso em jogadas pelo meio. Se soltou no fim da partida, quando o Boavista passou a dar mais espaços. Participou da tabela que deu origem ao terceiro gol.

FRED – NOTA 5,5

– Ainda não tem condições de jogar uma partida inteira, mas enquanto teve fôlego foi importante. Recuou duas vezes para armar e colocou Osvaldo na cara do gol.

*MAGNO ALVES – NOTA 5,0

– Participou mais do que Fred. Voltou para buscar o jogo, trocou passes. Perdeu boa chance no mano a mano com Luiz Alberto.

 

LEVIR CULPI – NOTA 7,0

– Transformou o Fluminense num time competitivo. Ainda não empolga, mas dá esperanças. Mexeu com correção, principalmente ignorando o pedido de Fred, que, ainda sem condições físicas, pediu para jogar os noventa minutos.

 


Sem comentários