A Comissão Nacional de Clubes (CNC) definirá na próxima sexta-feira quem venderá os direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro internacionalmente nos próximos quatro anos. Há ainda duas ofertas na mesa. A proposta é de um pouco menos de US$ 40 milhões (cerca de R$ 209 milhões) fixos pelo tempo total de acordo (até 2023). A maior parte vai ficar a maior parte para os participantes da Série A. Os que disputam as Séries B e C também receberão um percentual.

O Athletico-PR não entrará no acordo e nem sequer quis participar de tal discussão. Seu presidente, Mario Celso Petraglia, entende que os valores são demasiadamente baixos.


Clubes como o Flamengo pontuam que, mesmo por um valor baixo, o momento é de dar uma degustação aos potenciais clientes e abrir as portas para a exibição do futebol brasileiro no exterior.

Ainda assim, os envolvidos ainda tentarão aumentar um pouco os valores em contraproposta. A reunião para a definição da vencedora será por videoconferência na próxima sexta, às 15h.

Veja como será a divisão:

75% divididos para clubes da Série A
20% para a B (que pode ter a transmissão também em edições futuras)
5% para a C.