Wilson Seneme falou sobre estudos feitos pela entidade sul-americana (Foto: Reprodução)

Wilson Seneme, ex-árbitro brasileiro e atualmente presidente da Comissão de Arbitragem da Conmebol, concedeu entrevista à agência AFP e revelou haver um estudo para a mudança do método de utilização do VAR. De acordo com ele, em vez do juiz do campo ser chamado pelos auxiliares de vídeo, cada time envolvido na partida teria um número de desafios a pedir, conforme já acontece em esportes como tênis e vôlei, por exemplo.

— Enviamos recentemente um documento solicitando que o tempo seja paralisado e que os minutos que passem não sejam uma preocupação. Também pensamos ser proativos e que cada equipe tenha um número de desafios para pedir sua própria revisão, como acontece em outros esportes, como o vôlei, o tênis – disse.

Por mais que seja contestado, o VAR, segundo Seneme, é uma realidade e não vai sair de cena.

— O VAR não vai deixar o futebol. Veio para ficar e nós é que temos que nos adaptar melhorando cada vez mais esta ferramenta Os árbitros sempre são humanos. Sempre vão cometer erros e acertos. Isso é inevitável. O mais importante é que vamos elevar o número de acertos. Um erro grave que as pessoas cometem é pensar que não haverá erros de arbitragem em jogos com o VAR – falou.