Contas são referentes ao final da gestão de Abad e o começo da de Mário; clube fechou 2019 no vermelho (Foto: Mailson Santana/FFC)

Em reunião por videoconferência na noite de terça-feira, o Conselho Deliberativo do Fluminense aprovou por unanimidade as contas de 2019. O exercício abrange os meses finais da gestão Pedro Abad (de 1º de janeiro a 9 de junho) e os primeiros da administração Mário Bittencourt (de 10 de junho a 31 de dezembro).

Tais contas receberam auditoria da “Mazars Auditores Independentes” e o Conselho Fiscal já havia emitido parecer favorável à aprovação.

Em 2019, o Flu fechou com déficit de R$ 9.304.000,00. Pelo quarto ano seguido o clube terminou um ano no vermelho.

Mesmo com a aprovação de contas, informa o ge que os conselheiros mostraram preocupação com possíveis pedidos futuros de cobrança na Justiça por conta de dívidas e impostos em atraso da gestão anterior.

Em relação ao futebol, a receita bruta foi de R$ 250.153.00,00, sendo R$ 105.415.000,00 de vendas de jogadores, como Pedro para a Fiorentina, da Itália, e João Pedro ao Watford, da Inglaterra. A bilheteria em 2019 cresceu R$ 5,5 milhões (de R$ 10.821.000,00 para R$ 16.384.000,00), enquanto o sócio-torcedor se manteve na faixa dos R$ 5 milhões (subiu de R$ 5.216.000,00 para R$ 5.348.000,00).