(Foto: Lucas Merçon - FFC)

Ao site Globoesporte.com, Marquinho revelou a tristeza pela postura do diretor de futebol do Fluminense, Paulo Autuori, logo em sua chegada ao clube. O dirigente garantiu que todos os atletas dispensados no fim do ano passado tinham sido avisados antes da nota oficial. Marquinho desmente. Perguntado sobre as declarações do ex-jogador do clube, Autuori enalteceu o presidente Pedro Abad.

– Marquinho é um grande jogador. Quem sabe um dia possamos trabalhar juntos. Eu não botei meu nome em jogo. Eu botei minha carreira em jogo quando afirmei da lisura, da honradez, da decência, da transparência do presidente. Cometer erros, todos cometem. Quando essas ações foram determinadas eu nem estava ainda contratado. Mas participei no momento em que foi falado e as pessoas foram avisadas sim. Se o agente não foi porque não foi localizado é uma outra situação. Não posso falar, até porque não participei disso. Mas eu não costumo acreditar em pessoas erradas não. Até porque acho que as coisas são facilmente comprováveis – afirmou Autuori, que afirmou não ter participado da decisão pela saída dos oito jogadores:

– Isso já estava basicamente definido. Eu entrei e a coisa foi comunicada. Houve um processo. Eu sei que naquele dia e no dia seguinte foram avisados e contactados todos os jogadores. A maneira que foi ou deixou de ser eu não sei, porque não participei. Mas a ideia é que todos fossem avisados. Alguns podem não ter sido no mesmo dia, ou foram eles ou seus agentes. Isso tenho certeza. Posso dizer ao Marquinho que sou rigoroso nas pessoas com as quais confio e botei há tempo minha carreira em jogo se não soubesse com quem estou a lidar. Até porque se tivesse alguma dúvida não estaria aqui, poderia estar em uma situação muito mais confortável. Mas aqui estou em razão das dificuldades. E é isso que se precisa, pessoas que tenham história e acreditam nas dificuldades. Querer só o bom é fácil, querer estar só onde tem as coisas é fácil.