(Foto: Mailson Santana/FFC)

No ano passado, Robinho custou cerca de R$ 7 milhões aos combalidos cofres do Fluminense. Sem ter apresentado o futebol que justificasse o elevado investimento, foi cedido ao América-MG por empréstimo até dezembro. Diretor de futebol do Coelho, Ricardo Drubsky conta que é fã do jogador desde antes de fechar com o clube carioca e o interesse é antigo.

– Robinho era um jogador pretendido por nós desde o começo do ano, fazia parte das nossas pesquisas de mercado. Ele despontou bem no Figueirense e já olhávamos ele antes do Fluminense. Começamos a conversar, mas o Marcelo Oliveira (técnico do Flu) vetou a vinda, pois queria avaliar melhor o atleta. Depois disso, o negócio se concretizou e ficamos felizes. Esperamos que ele faça um pouco do que já fez no passado e ajuda o América em seus objetivos – comentou Drubskcy, em entrevista ao NETFLU.


O ex-técnico do Fluminense acredita que Robinho poderá desenvolver seu trabalho quando vestia a camisa do Figueirense.

– Isso é uma questão que requer muita reflexão, não é tão simples responder. Os jogadores têm poucas oportunidades nos clubes. Se ele não chega e já impressiona, acaba sendo refutado. O Robinho ainda não se destacou no América, mas acompanhando o dia a dia de trabalho e a personalidade dele, não tenho dúvidas de que é um jogador de qualidade. Ele é um grande jogador e as coisas vão acontecer naturalmente para que ele possa deslanchar futuramente.