Dirigente: “Equipes sabem que é preciso pagar caro por jovens do Flu”

Dirigente: “Equipes sabem que é preciso pagar caro por jovens do Flu”

xerem

Paulo Brito

O trabalho desempenhado pelas categorias de base do Fluminense vem de longa data. A internacionalização disto também, sendo maximizada nos últimos anos. Gerente das categorias de base do Time de Guerreiros, Marcelo Teixeira ressaltou a importância do trabalho feito nesse intercâmbio, tanto para a formação do jogador como homem e, também, como atleta.

– Na verdade, a gente acredita demais no nosso projeto internacional, no sentido de melhorar o jogador dentro e fora de campo. A gente criou um lema dentro do Flu que é: “faça uma melhor pessoa, que teremos um melhor jogador”. quando você coloca para viver fora do Brasil, ele vai ter que aprender uma cultura nova, língua, vai crescer. Dentro de campo é fundamental, fora do Brasil se vive um contexto técnico e tático diferente e mais difícil do que aqui. O Ygor Nogueira é um exemplo pratico, jogou fora do Brasil, retornou e foi campeão sub-20. O Marlon marcou o Thierry Henry, o irritou, botou o dedo na cara dele e no final da partida deu a camisa para o jogador. A base do Flu é uma marca reconhecida mundialmente. Flu construiu essa marca da base, vencendo equipes como Real Madrid, Barcelona, Milan… quando vem uma equipe de fora, eles sabem que é preciso pagar caro, pagar o preço de todo o bom trabalho que é feito – disse em entrevista exclusiva ao NETFLU.


Sem comentários