Marcão citou o Bahia como outro clube que também trabalha bem a questão (Foto: Mailson Santana - FFC)

Recentemente, Marcão havia falado sobre racismo no futebol e as poucas oportunidades aos técnicos negros em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo. E o treinador voltou abordar o assunto, desta vez em conversa com a Rede Globo.

Na visão do comandante do Fluminense, ainda é necessário fazer muito para se minimizar o problema no país, mas ressaltou novamente o orgulho pela postura do clube das Laranjeiras.

– Ainda acredito que a gente precisa caminhar muito. O Tite foi muito claro: o racismo acaba sendo estrutural. A gente tem que caminhar junto, falar mais, é importante esse debate da mídia e também de nós, treinadores, um debate interno. Não é só a gente chegar aqui e falar, mas a gente tem que fazer também para que isso mude. Muita gente leva pro lado político da coisa, mas se eu estou falando realmente sobre o que acontece. Foi importante a opinião de um cara que é referência hoje, que é o Tite, ter se posicionado dessa forma e entender que algo precisa ser feito. Eu tenho marcado algumas reuniões com pessoas importantes no meio pra gente debater e melhorar de verdade – disse, complementando:

– O Fluminense tem sido exemplo na luta racial, e eu sinto muito orgulho. Tem outros clubes que lidam muito bem também, como Bahia (…) A gente sabe que muita gente não quer falar, mas sabe também que é estrutural, e a gente tem que mexer nisso. Tem muita gente que se prepara, faz curso da CBF Academy… Todos renomados, capacitados, mas falta oportunidade. E de que maneira a gente vai oportunizar?