Foto: Divulgação

Jorge Mattos, coordenador da Câmara Especializada de Engenharia Civil do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio (Crea-RJ), entende que o Maracanã, palco da estreia do Flamengo na Libertadores e onde o Fluminense pretende realizar seu primeiro jogo pela Sul-Americana de 2017, não deveria ter sido reaberto. O engenheiro leva em consideração os laudos da SBP (empresa alemã de engenharia) e fotos do estádio feitas pela reportagem do jornal O Globo ao dia seguinte da última partida realizada no local.

– Caso tivesse poder de liberar ou não o estádio, não liberaria, porque isso aqui mostra uma condição extremamente insegura e importante de ser verificada. Tanto que estamos mandando uma fiscalização para apurar quem é o responsável por esse ato – disse Mattos.

Segundo o laudo do SBP, o estádio tem peças soltas na cobertura com alto risco de queda. Escadas de emergência que deveriam estar fixadas no chão e na parede, pelas fotos analisadas pelo engenheiro, estão soltas, causando mais perigos ao torcedor.